in , ,

Fezes e pelo de rato: As 2 marcas de arroz PROIBIDAS pela ANVISA, arrancadas dos mercados e situação hoje

A proibição severa da ANVISA contra 2  marcas de arroz famosas e situação hoje (25) após o decreto

Criada pela Lei nº 9.782, do dia 26 de janeiro 1999, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, mais conhecida como a ANVISA, é uma autarquia sob regime especial, que tem sede e foro no Distrito Federal.

Ela está presente em todo o território nacional por meio das coordenações de portos, aeroportos, fronteiras e recintos alfandegados e tem como  finalidade institucional promover a proteção da saúde da população.

Essa proteção chega por intermédio de um controle sanitário da produção e consumo de produtos e serviços submetidos à vigilância sanitária.

A Anvisa é um dos nossos principais órgãos (Foto Reprodução/Internet)
A Anvisa é um dos nossos principais órgãos (Foto Reprodução/Internet

Com todas essas características que a compõe, pode se fizer que ela de fato, é uma das autarquias  mais importantes do país.

Afinal de contas, como foi mencionado acima, é ela quem se responsabiliza e determina o que se deve barrar ou permitir visando sempre o bem estar geral da população.

Inclusive, mesmo as grandes marcas do mercado não estão imunes às proibições da ANVISA  que vira e mexe baixa um decreto contra as mesmas deixando milhares de consumidores em choque.

Falando nisso separamos dois casos chocantes envolvendo marcas de arroz, que acabaram sendo arrancadas dos comércios ás pressas após grave contatação.

Favorito

A marca de arroz Favorito, produzido pela Total Cesta Básica de Alimentos Ltda, da região de Minas Gerais, em meados de fevereiro de 2023m acabou tomando uma proibição da ANVISA após grave constatação.

Ainda de acordo com  portal, essa medida foi tomada após ser comprovado a presença de fezes de ratos/roedores, assim como pelos e fragmentos de insetos, larvas e até mesmo insetos inteiros.

Foram encontrados no arroz fragmentos de insetos inteiros, larvas e até pelos de roedores (Foto Reprodução/Internet)
Foram encontrados no arroz fragmentos de insetos inteiros, larvas e até pelos de roedores (Foto Reprodução/Internet)

O Centro de Laboratório Regional – Instituto Adolfo Lutz Campinas III foi quem detectou, à época, as substâncias em amostras do arroz longo fino tipo 1, do lote 00204, válido até 25 de fevereiro de 2017.

O produto, de acordo com a resolução publicada no “Diário Oficial da União” do dia 2 de janeiro de 2017, foi  empacotado e distribuído pela empresa Total Cesta Básica de Alimentos Ltda-ME*, de Contagem (MG)

(Para ter acesso a resolução completa, clique aqui)

A agência também determinou que a empresa fizesse o recolhimento em caráter URGENTE do estoque existente no mercado na época do ocorrido.

De acordo com o Seu Crédito Digital, após  a divulgação do caso e as determinações da Anvisa, a empresa Total Cesta Básica de Alimentos, responsável pela marca, agiu rapidamente e recolheu todas as unidades do lote afetado que ainda se encontravam no mercado.

Situação hoje

De acordo com apurações feitas hoje (25), pelo TV Foco, ao procurar a marca através de pesquisas da internet foi constatado que o produto  indisponível em alguns mercados, fora isso as suas redes sociais oficiais estão desativadas como podem ver por este link.

Também NÃO FORAM ENCONTRADAS  nenhuma nota oficial da empresa com declarações sobre o ocorrido no ano de 2017. O que leva a crer que a marca não está mais sendo comercializada.

Ao procurar o produto na área geral do Google Shopping ele nem sequer aparece, o que leva a crer que o decreto proibitivo permanece.

Arroz favorito não está sendo localizado nos mercados (Foto Reprodução/Rede Trotano)
Arroz favorito não está sendo localizado nos mercados (Foto Reprodução/Rede Trotano)

Já a empresa responsável pela marca, a Total Cesta Básica de Alimentos Ltda consta como permanentemente fechada como podem ver abaixo:

Empresa responsável pela marca Favorito, consta como permanentemente fechada (Foto Reprodução/Google)
Empresa responsável pela marca Favorito, consta como permanentemente fechada (Foto Reprodução/Google)

Prato Vip

Em segundo lugar na lista, nós  temos o arroz da marca Prato Vip.

De acordo com as próprias informações divulgadas pela  ANVISA, no dia  em  16 de novembro de 2010, a autarquia determinou a interdição cautelar do lote nº 011 do arroz subgrupo polido, classe longo fino, tipo 1, da marca Prato Vip, da empresa Comercial Nacional de Alimentos Ltda (CNA).

O produto apresentou resultados insatisfatórios quanto aos ensaios de características sensoriais e de pesquisas de matérias estranhas.

A interdição cautelar fiou  válida por 90 dias após a publicação no Diário Oficial da União (DOU),  período em que é realizada a contraprova do laudo de análise fiscal emitido por órgão-parte do Sistema Nacional de Vigilância Sanitária (SNVS).

Durante esse prazo, o lote interditado não pôde ser comercializado ou consumido.

Qual a situação do arroz Prato Vip hoje?

Conforme apurações feitas pelo TV Foco hoje (25) embora a situação tenha sido específica de um lote, ao procurar pela marca Prato Vip nas principais lojas e mercados ele não consta em nenhum lugar.

Fora isso, apesar da situação da fabricante estar ativa, NÃO CONSTA NENHUMA RETÓRICA DA EMPRESA, muito menos registros atuais sobre o caso.

https://youtu.be/x3_ZzJVjqe4?si=FldkLoH-p-uxCVdF

The post Fezes e pelo de rato: As 2 marcas de arroz PROIBIDAS pela ANVISA, arrancadas dos mercados e situação hoje appeared first on TV Foco.

“Vão acabar virando”: O anúncio DECISIVO de diretor do Corinthians sobre nova SAF e venda do time

Pedido de falência e demissão em massa: O triste fim de empresa gigantesca após 100 anos em país